Casas na Barra da Tijuca | Porque comprar casas na Barra da Tijuca
147
post-template-default,single,single-post,postid-147,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-theme-ver-10.1.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1,vc_responsive

Porque comprar casas na Barra da Tijuca

Casas na Barra da Tijuca

Porque comprar casas na Barra da Tijuca

Porque comprar casas na Barra da Tijuca

Apresentada desde os anos 70 como o futuro do mercado imobiliário carioca, a Barra tem uma novidade para quem cogita se mudar para o bairro: aluguéis consideravelmente mais baratos após o boom olímpico do ano passado. Um levantamento que acaba de ser divulgado pelo Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-Rio) mostra que o valor médio do metro quadrado para locação residencial na Barra caiu quase 7%, entre janeiro do ano passado e março deste ano, ainda que continue a ser o mais alto naquela região (R$ 32,58/m²).
O bairro concentra a maior parte do legado deixado pelos jogos, como o metrô e as linhas de BRT, e ainda assim teve uma desvalorização maior do que vizinhos como Recreio, que teve queda de 5,5%, e Jacarepaguá, com redução de 6%.
Esse movimento tem uma explicação. Segundo o vice-presidente do Secovi-Rio, Leonardo Schneider, a queda nos valores do aluguel resulta da combinação entre a construção em massa de empreendimentos na região e a crise financeira que já se arrasta por três anos. Para se ter uma ideia, de acordo com dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, 68% de todas as unidades habitacionais lançadas na cidade entre 2005 e 2010 estavam concentrados em apenas quatro bairros da Zona Oeste: Barra, Jacarepaguá, Recreio e Campo Grande.
– Muita gente comprou imóveis no bairro como investimento, nos bons anos do mercado, aí por volta de 2012 e 2013. A ideia desse público era aproveitar os alugueis por temporada e a possibilidade de revenda por um preço maior do que o adquirido – avalia Schneider.
Mas a crise acabou forçando estes investidores a uma mudança de planos. Quem esperava revender os apartamentos, por exemplo, preferiu alugar esses imóveis até que o cenário melhore.
– Isso fez com que a oferta aumentasse ainda mais, embora a demanda não tenha crescido na mesma proporção – afirma ele.
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.